Usando cores para aprender vários idiomas

Todos aprendemos de maneiras diferentes. Uma linha de pensamento sobre o modo como aprendemos argumenta que existem sete estilos de aprendizagem diferentes:

  • Visual (espacial): aprendendo usando fotos, imagens e compreensão espacial.
  • Auditivo (auditivo-musical): aprendendo usando sons e música.
  • Verbal (linguística): aprendendo usando palavras faladas e escritas.
  • Físico (cinestésico): aprendendo usando seu corpo, através do seu senso de toque e das mãos.
  • Lógico (matemática): aprendendo usando uma abordagem lógica, com ênfase em raciocínio e sistemas.
  • Social (interpessoal): aprendendo como parte de um grupo.
  • Solitário (intrapessoal): aprendendo por conta própria.

Cada um de nós aprende de uma maneira que combina elementos desses estilos de aprendizagem. O tópico que estudamos também pode afetar os estilos de aprendizagem que usamos.

Compreender isso e usá-lo para nossa vantagem pode servir para desbloquear formas mais rápidas e eficientes de aprender. Isso é certamente verdade para a aprendizagem de idiomas  (juntamente com muitos outros assuntos).

Estudos também mostraram que o uso da cor pode ter um impacto significativo em quão efetivo a aprendizagem é e o quão bem lembramos. The Influence of Colour on Memory Performance: A Review, publicado no Malaysian Journal of Medical Sciences, alega que as cores  fazem parte de uma das “experiências visuais mais importantes para os seres humanos”. As cores se ligam aos nossos processos cognitivos, emoções e memórias.

A psicologia da cor é um tema fascinante (e extenso). A cor pode afetar nossa probabilidade de ler algo, ou lembrar de uma informação. Além disso, pode impacto nosso humor,  o que, por sua vez, pode afetar a forma como aprendemos.

A preferência de cor muda com a idade. Os alunos mais jovens preferem os tons mais quentes de amarelo, laranja e vermelho. Os alunos mais velhos se inclinam mais para as cores mais frias do verde, azul e malva. Os tons calmantes de azul podem funcionar particularmente bem em um ambiente educacional, ajudando os alunos a alcançar a calma que precisam para absorver mais informações.

Quando se trata de aprendizagem de línguas, podemos usar a cor para nossa vantagem de várias maneiras. Se o objetivo é simplesmente aprender o básico antes de um feriado, ou alcançar fluência para construir uma carreira na indústria de tradução profissional, as cores podem ajudar.

Usando cores para aprender um único idioma

Continue reading

Entrevista com Gabe Wyner de Fluent Forever

Hoje falaremos com Gabe Wyner do site Fluent Forever sobre o projeto do seu aplicativo.

1. Conte-me um pouco sobre você.

Eu sou um autor de 34 anos de idade, moro em Chicago com minha esposa e meu cachorro. Nasci em Los Angeles e cresci como uma criança nerdy obcecada por videogames e ciência. Eu cantei teatro musical e música clássica como passatempo, e na faculdade, obtive graduação dupla em ópera e engenharia mecânica. Eventualmente, decidi me tornar um cantor de ópera e me mudei para Viena, Áustria, para obter mestrado nessa área.

Eu comecei na aprendizagem de línguas por causa da minha formação em ópera. Eu estava estudando para me tornar um cantor de ópera e eu precisava, por esse motivo, aprender francês, italiano, alemão e russo. Mas a engenharia nunca me deixou. Apesar de gostar de cantar, eu era, e sempre serei um engenheiro de coração. Eu gosto de resolver problemas e procurar maneiras de maximizar a eficiência em tudo o que eu faço. Então, quando comecei a aprender idiomas para o meu canto, fiquei obcecado com o processo, procurando maneiras de fazê-lo ir mais rápido.

2. Como você aprendeu línguas?

Mal a princípio! 🙂 Quando eu era criança, eu lutei com a língua hebraica por 7 anos, então continuei lutando com o russo por cinco anos e meio. As primeiras vezes que encontrei algum sucesso foram em programas de imersão rigorosos: passei dois verões aprendendo alemão nos programas de imersão de Middlebury e um verão em Perugia, Itália, para aprender italiano. Cheguei aos meus métodos atuais enquanto estudava francês.  Comecei aprendendo a pronúncia (para o meu grau de ópera), usei um Sistema de Repetição Espaçada (o aplicativo ‘Anki’, para ser específico) para me ensinar o idioma, fazendo flashcards que eram 100% em francês, com imagens. Usando esse método por 3 meses, seguido de uma imersão de 2 meses, acabei por alcançar fluência C1 em francês em 5 meses.

3. Qual a diferença entre o aplicativo Fluent Forever e outros aplicativos de flashcards como Anki ou Memrise? Continue reading

Como aprender um idioma sendo um introvertido

Todos aprendem de forma diferente. O que funciona para uma pessoa não funcionará necessariamente para outra. No entanto, existem duas classes de traços de personalidade que têm coisas em comum quando se trata de aprender um novo idioma e é se você é um extrovertido ou um introvertido.

O que é um introvertido?

 

De um modo geral, se você se identifica como introvertido, você é um pensador profundo, introspectivo e se sentirá desconfortável em interações sociais longas, mas se sentirá energizado passando o tempo sozinho. Então, como um aprendiz de idiomas introvertido, o popular conselho de “apenas sair, conhecer pessoas e começar a falar” pode muito bem deixá-lo com medo.

No outro extremo do espectro, se você tem uma personalidade extrovertida, você vai adorar conhecer novas pessoas, poder conversar por horas e se sentir energizado em grandes grupos de pessoas, mas acha difícil ficar sozinho por longos períodos de tempo.

É o mesmo que ser tímido?

 

Absolutamente não. Ambos os introvertidos e extrovertidos podem ser tímidos. A timidez é um medo de situações sociais que evocam especificamente sentimentos de nervosismo e ansiedade. Você pode ter isso também, mas é importante saber a diferença.

Também vale a pena notar que absolutamente todos podem ficar apreensivos com situações que os deixam desconfortáveis. E a boa notícia é que a timidez pode ser superada com a prática e paciência. Ser introvertido não é algo que você possa superar, nem você deve querer isso, porque tem vantagens quando se trata de aprendizagem de línguas.

 

Técnicas de aprendizagem para introvertidos

 

1.Gerencie seus níveis de energia

Esteja ciente de quanta energia você tem e como e quando você pode recarregá-la. Por exemplo, se você esteve em uma grande reunião no trabalho ou fez uma apresentação na escola durante o dia, à noite não será o melhor momento para praticar falar com estranhos porque você já estará esgotado. Você fará mais progresso praticando por conta própria no seu livro.

2. Esteja no controle de suas interações sociais

Se organize para que elas tenham tempos definidos para terminar. Por exemplo, em uma reunião de grupo, avise as pessoas com antecedência que você só poderá ficar por uma hora. Dessa forma, você está obtendo a experiência valiosa de praticar falar em uma situação da vida real, mas não está colocando pressão desnecessária em si mesmo.

3. Fale com você mesmo

Esta é uma técnica chave para os introvertidos que são particularmente cautelosos com o crítica. Sim, pode parecer um pouco doido no início, mas funciona. Você se acostumará a ouvir sua voz formando novas palavras e isso aumentará sua confiança quando estiver falando com outras pessoas.

4. Foque em conversas face a face

Como introvertido, você provavelmente descobrirá que trabalhar com um tutor on-line enquanto estiver no conforto de seu próprio ambiente com um limite de tempo definido de interação, é muito mais fácil do que a aprendizagem baseada em sala de aula. Ou você pode ter um amigo introvertido que entenda as suas dificuldades e que aceite praticar com você. De qualquer forma, incentivo e feedback construtivos de alguém que você confia são coisas poderosas.

5. Ouça música e veja filmes

Encontre algumas músicas que você ame no seu novo idioma, busque as letras no Google, pressione o botão repetir e cante junto. Use o seu tempo sozinho para sua vantagem, assistindo a filmes e séries no idioma que você está aprendendo. Tenha um dicionário e um bloco de notas à mão e tome nota de quaisquer palavras ou frases que você não conheça e que deseje praticar. Você pode até usar legendas.

6. Faça uma homestay ou troca de idiomas

Viver com uma família estrangeira para um intercâmbio linguístico (hospitalidade recíproca) ou homestay (uma estadia de ida) que você escolheu é uma ótima maneira de se sentir confortável com a pessoa com a qual você planeja praticar suas habilidades linguísticas. Escolha o anfitrião certo com base em seu perfil, estilo de vida e interesses e, em seguida, converse com eles para se certificar de que eles são uma boa escolha para você. Praticar suas habilidades com alguém que você gosta é sempre muito mais fácil. Muitas pessoas acabam fazendo amizades que duram a vida inteira com seus anfitriões.

7. Força-se a sair da sua zona de conforto

Aprender um idioma também é sobre “se forçar”. A verdade é que você não pode melhorar sua fala se não pratica a fala. Então, enquanto isso pode não ser realista para todos, vá para um lugar onde você não pode escapar de falar seu novo idioma. Não imediatamente, mas depois que você tenha praticado as técnicas acima por um tempo, esta é uma ótima maneira de chegar ao próximo nível.

Não importa se você é introvertido ou extrovertido, tímido ou festeiro, qualquer um pode aprender um idioma e, em última análise, o aprendizado de línguas deve ser divertido e gratificante, não é algo que te deixa sem energia e frustrado.

Portanto, esteja ciente de sua introversão e trabalhe com isso, não lute contra. É parte da sua personalidade e não precisa ser consertado. Aceite-se e seja criativo com suas técnicas de aprendizagem.

Artigo escrito por Lingoo, o maior clube de intercâmbio de línguas e homestay do mundo. Lingoo dá aos alunos de línguas de todas as idades o poder de decidir como gostariam de aprender e praticar um idioma e ajuda professores e anfitriões a oferecer experiências autênticas de aprendizagem de línguas.

Este post é patrocinado.

O quanto de japonês você pode aprender com Duolingo?

O Duolingo japonês foi finalmente lançado para usuários Android e o japonês está na minha lista de  “Idiomas para aprender”, então eu decidi começar a aprender, mas como vocês podem notar pela escassez de postagens, apesar de amar aprender línguas, não estou tendo tempo para estudá-las no momento.

Então, o que eu vou fazer é usar Duolingo, APENAS Duolingo para estudar japonês. No final da minha experiência, pretendo fazer um vídeo mostrando o quanto eu aprendi.

Minha experiência durará até terminar minha árvore japonesa Duolingo.

Começando minha experiência hoje.

Desejem-me sorte!

Motivação e rotina

Hoje vou dar uma dica simples de como aliar motivação e rotina para estabelecer uma prática diária de estudos.

A ideia de que para atingir um objetivo é preciso motivação sempre foi dominante. Porém, nos últimos anos, uma série de estudos científicos vêm mudando este conceito.

O que é motivação?

A motivação é um processo que pode advir de fatores internos ou externos que nos fazem agir. Os fatores que mais influenciam a motivação são:

  • Desejo: o quanto você quer algo;
  • Necessidade: o quanto você precisa de algo;
  • Recompensa/Punição: qual será a recompensa em caso de um comportamento positivo e qual será a punição caso haja de modo contrário.

A motivação na aprendizagem de idiomas

Continue reading

As notícias mais interessantes de março sobre idiomas

Vamos começar lendo dois artigos motivacionais do blog Eurolinguiste.

Quando você odeia estudar:  como se recuperar de um esgotamento na aprendizagem de idiomas – Eurolinguiste

[Artigo em inglês] – Neste artigo, Shannon Kennedy dá dicas ótimas e simples de como se recuperar e voltar aos estudos, mesmo sem vontade.

Como superar um “plateau” na aprendizagem de idiomas – Eurolinguiste Continue reading

Freundschaftsbezeigungen: 20 palavras da Europa que vão fazer você duvidar de suas habilidades linguísticas

Este é um post convidado escrito por Martha Simons!

Um dos aspectos determinantes de um continente são as suas línguas. Ao visitar os diferentes países de um continente, uma das coisas, entre muitos outras, que poderiam lhe interessar é a singularidade do idioma falado ali. Na verdade, você ficará tentado em aprender algumas palavras apenas para se identificar com os locais ou ter algo para levar de volta para casa. A Europa não é diferente de outros continentes, uma vez que as línguas aqui têm surpresas agradáveis ​​para você.

Algumas línguas europeias são conhecidas por ter palavras estranhamente longas, por exemplo, o alemão. Em outros casos, um falante de uma língua europeia vai encontrar uma palavra correta para algo ou situação e deixar o resto do mundo, incluindo falantes de português, sem palavras por falta de uma tradução adequada que corresponda ao que se quer dizer. Mesmo poliglotas terão dificuldades ao se confrontar com tal situação. Aqui está um panorama sobre algumas dessas palavras europeias que irão fazer você duvidar de suas habilidades linguísticas.

Palavras estranhamente longas

 

Palavras longas podem ser complexas. Elas aumentam suas chances de perder uma ou duas letras ao escrever e  errar gravemente a pronúncia ao falar. Além do mais, algumas dessas palavras são difíceis de traduzir adequadamente para outras línguas. Aqui podemos ver para alguns exemplos:

1.Freundschaftsbezeigungen

Essa não é apenas uma palavra longa, mas também “desajeitada”, como Mark Twain diria, referindo-se a sua disposição. Freund significa “amigo” e a tradução correta da palavra Freundschaftsbezeigungen é “demonstrações de amizade”.

2. Kraftfahrzeughaftpflichtversicherung

Não há dúvida de que o alemão é conhecido por suas longas palavras. Surpreendentemente, elas não são palavras raras ou especiais neste idioma, uma vez que você pode escutá-las regularmente em uma conversa ou ao ler materiais impressos, como jornais. Kraftfahrzeughaftpflichtversicherung é uma dessas palavras e representa o seguro de responsabilidade civil para veículos automotores.

3. Generalstaatsverordnetenversammlung

Este é outro dos longos termos assustadores do alemão. Na maioria das línguas, este termo é composto de pelo menos quatro palavras. É usado para denotar “reuniões da legislatura.” Não será mais fácil dividi-la em “reuniões de representantes de estados gerais”, em seguida, encontrar um termo para cada palavra em alemão para formar uma frase? Provavelmente, mas assim é o alemão!

Você não encontrará estas palavras longas apenas em alemão. As línguas europeias têm um bom número deles. Aqui estão outros exemplos:

4. Anticonstitutionnellementlement Continue reading

Ainda há tempo! Como aprender alemão até o nível B1 em 2017

Como muitas pessoas gostaram do meu post sobre como aprender francês em 2017. Resolvi fazer um de alemão. Alemão é para a maioria das pessoas um idioma mais difícil do que o francês, por isso, não posso garantir que você atinja o nível B2 até o final do ano se usar esses recursos, mas com certeza, é possível atingir o nível B1, e o melhor de tudo é que a maioria do material comentado aqui é gratuito!

Conhecendo o idioma

Como recomendei no artigo sobre a língua francesa, o melhor é começar devagar. Por isso, um dos melhores recursos é Duolingo que abrange tanta a escrita como o entendimento auditivo desde o começo. Uma outra opção ótima e gratuita em alemão é o curso da Deutsche Welle chamado “Treinador de Pronúncia”. O curso consiste em pequenos áudios com palavras e frases em alemão e português que devem ser repetidas.

Outro curso básico e rápido para conhecer o alemão é o curso Missão Europa.

Escolhendo o seu primeiro curso

Depois de conhecer o básico do idioma, deve-se escolher um curso de duração mais longo.

Eu recomendo para começar dois cursos da Deutsche Welle. O meu predileto é o curso Deutsch – Warum Nicht? O curso é um pouco antigo (início dos anos 90), porém é muito bom, interessante e bem organizado. A vantagem deste curso é que os personagens são sempre os mesmos e você fica curioso para saber mais sobre eles e suas histórias.

O segundo curso que é recomendo é o curso interativo “Harry“, infelizmente disponível apenas em inglês. Como a estrutura é multimídia, é um ótimo curso para se fazer na frente do computador. Assim como o curso “Deutsch – Warum nicht?“, os personagens são sempre os mesmo e você fica curioso para saber o que acontece com eles.

Outro curso que sempre recomendo é o Assimil, apesar de achar a versão francesa melhor, a versão alemã também é boa e o curso segue a mesma estrutura do curso de francês. Os primeiros textos são curtos e simples, os áudios são repetidos duas vezes de forma lenta. Depois da primeira semana, os textos se tornam mais longos e os áudios têm um ritmo mais natural. Após a 50º lição, começamos a praticar a tradução reversa e as lições demoram cerca de uma hora para serem terminadas, enquanto no primeiro ciclo demandam apenas 30 minutos.

É hora de conversar!

Depois de adquirir um noção básica do idioma, você deve começar a praticá-lo. A melhor ferramenta para isso no mercado é o site Italki, que tem milhares de professores disponíveis online. Você adquirir aulas individuais ou comprar um pacote com desconto. Outras opções são, participantes de intermcâmbios linguísticos na sua cidade, utilizando sites como Meetup.com e Couchsurfing para encontrar estrangeiros ou apps como o HelloTalk.

FSI: para treinar a fonética e para os que gostam de sofrer

Apesar de recomendar o curso FSI de francês, não recomendo o de alemão, o curso além de antigo, não é tão bem estruturado como o curso de francês. Por isso, não recomendo o curso básico (FSI German Basic Course). Porém, o curso de introdução (FSI German Programmed Introduction Course) é fácil e melhor estruturado, muito bom para aprender a fonologia alemã. O curso pode ser encontrado aqui.

Para os amantes de gramática

Como sempre, para os amantes de gramática, recomendo minha série de livros predileta “Practice Makes Perfect”, infelizmente o curso está apenas disponível em inglês/alemão. Como disse antes, eu adoro essa série por ter cursos específicos, como o curso de pronomes e preposições, o básico ou completo, o de conjugação de verbos; além dos cursos de vocabulário e conversação.

Outro bom livro de gramática de alemão, porém para um nível um pouco mais avançado é o curso de Klipp und Klar – Ubungsgrammatik, disponível para os níveis A1/B1 e B2/C1.

Cultura

E, como sempre, recomendo que esteja em contato constante com a cultura do países, vendo filmes, ouvindo podcasts e rádio ou lendo livros, revistas ou jornais.

Boa sorte e aos estudos!!!

Como atingir o nível B2 em francês em 2017

No começo do ano, uma das resoluções mais comuns que as pessoas fazem é aprender um idioma. Mas, como atingir um nível bom no idioma em apenas um ano?

Apesar de parecer um tempo curto, um ano é tempo suficiente para aprender um idioma e se comunicar no país onde a língua é falada.

Então, se você quer aprender francês esse ano, aqui estão as minhas dicas para que neste final de ano, você passe as férias em Paris, falando francês.

Comece pelo básico

Conhecer um novo idioma pode ser algo assustador, por isso a melhor maneira de começar é através de um curso leve e fácil. Duolingo é o app de maior sucesso na área de aprendizagem de idiomas e existe uma razão para isso. Ele é gratuito, fácil de usar, divertido e apresenta atualizações constantes para te manter engajado. Continue reading

Top dez: os posts mais lidos de 2016

O que as pessoas leram em 2016? Confira agora.

10. Sotaques espanhóis – Parte 1

Qual a diferença entre o espanhol europeu e o latino americano? Qual a diferença entre o espanhol argentino e mexicano? Descubra aqui!

09. Aprender por Osmose

É possível aprender apenas pelo seu ambiente?

08. Como melhorar a leitura em língua estrangeira – Parte 2: Textos paralelos/bilíngues

Umas das maneiras mais práticas de estudar um idioma. Continue reading